Talentos Desperdiçados ? Problemas de autossabotagem ?

Quantas pessoas você conhece que sabotam os próprios talentos, relacionamentos e até a vida?

Autossabotagem pode ser descrita como a “criação” de dificuldades que impedem o fluxo da energia individual para atingir um objetivo ou mais, na vida ou em alguma área dela.

Ao invés de fazer um movimento para a realização, a pessoa pode “ficar travada” por comportamentos, em sua maioria inconscientes, gerando impeditivos de viver o seu pleno potencial.

De alguma maneira todos nós, em algum momento, temos algum comportamento sabotador.  Pode ser algo simples como marcar com um cliente e não comparecer, até quem sabote a própria vida sonhando com “a felicidade” no fim do caminho e desfocado, viva uma vida infeliz. Isso é bem comum, pessoas viverem sonhando com “o final feliz” sem fazer nada para chegar lá.

No trabalho, a procrastinação é a forma mais conhecida de não realização. Responsabilizar outras pessoas por sua inércia é um sintoma grande e ser perfeccionista demais uma outra forma comum de autossabotagem.

Vários são os motivos que levam uma pessoa a se autossabotar:

  • Trauma
  • Falta de autoconfiança;
  • Perfeccionismo exagerado;
  • Má gestão das emoções: Especialmente medo e raiva.

Os sabotadores surgem como uma forma de defesa e autopreservação. Uma preservação que colada “como tatuagem”, mantém a pessoa presa na conhecida zona de conforto ou pior, como no mito de Sísifo, subindo a montanha com a pedra e escorregando quando está chegando lá. Os sintomas podem acontecer com a própria vida, relacionamentos, amizades, na vida profissional.

O que há em comum nestes comportamentos? Surgem de alguma crença ou dor de infância e por mais talentos que a pessoa tenha, sabotar a sua realização parece ser a única possibilidade. O resultado?  Frustração, tristeza, vida infeliz.

“A questão não é saber se tem um sabotador e sim, qual é e qual o estrago que ele faz?” (Chamine).

Ter um grande talento e desperdiçá-lo é uma espécie de morte em vida. O mundo está cheio de pessoas talentosas que não sabem o que fazer consigo mesmas. Eu já me sabotei em várias situações.  As vezes foi possível administrar a situação, outras vezes, desperdício de tempo, dinheiro e até mesmo relacionamentos irrecuperáveis.

A boa notícia é a possibilidade real de este fato ser revertido, caso a pessoa tenha desejo de se mobilizar para fazer diferente. Para que isso ocorra alguns passos são importantes:

  • Ter autoconsciência – Dar-se conta. Identificar o comportamento sabotador ou sabotadores.
  • Querer, ter desejo de fazer diferente – Escolher uma nova forma e treinar o novo comportamento;
  • Reconhecer a vulnerabilidade – Identificar que é um comportamento de autoproteção, bem humano;
  • Ajudar a si mesmo – Identificar o que está por trás do comportamento, qual a causa, e trabalhar uma mudança de atitude e se for o caso, buscar ajuda externa.

Tenho trabalhado com pessoas que ao reconhecerem seus sabotadores, tem escolhido olhar para eles, para a dor gerada e ultrapassá-las, cuidando melhor de si mesmos e de suas forças e a partir dessa nova postura fazendo novas e melhores escolhas.

×

Powered by WhatsApp Chat

× Podemos ajudar?